Oficinas Alimente-se Bem na 11ª Agrifam

15 sessões serão ministradas focando uso integral dos alimentos

Oficina Alimente-se Bem ministrada na Agrifam (foto: Giuliano Martins/Fetaesp)

Oficina Alimente-se Bem ministrada na Agrifam (foto: Giuliano Martins/Fetaesp)

O Programa Alimente-se Bem do SESI estará na 11ª Agrifam – Feira da Agricultura Familiar – ministrando 15 oficinas que tem como base o aproveitamento integral dos alimentos, através da educação nutricional, com ensino de receitas práticas e diferenciadas. Nessas oficinas também são repassados conceitos sobre alimentação e nutrição, higiene, reconhecimento dos alimentos próprios para o consumo e armazenamento antes e após o preparo.

As sessões acontecem nos três dias de Feira, às 9h30, 10h30, 11h30, 14h e 15h. As vagas são limitadas em 20 participantes por sessão e preenchidas conforme ordem de chegada dos interessados.

Oficinas Alimente-se Bem na 11ª Agrifam (todos os dias):

9h30 – Patê de pão e Suco da Horta
10h30 – Gelatina Cremosa e Suco Milila
11h30 – Petit Four de aveia e Suco da Horta
14h – Frappé de coco e Suco da Horta
15h – Patê de pão e Suco de soja Gelatinado

 SERVIÇO:
11ª Agrifam – Feira da Agricultura Familiar
Data: 1, 2 e 3 de agosto
Horário: 8h às 17h
Local: Recinto de Exposições “José Oliveira Prado”
Endereço: Avenida Lázaro Brígido Dutra, 300 – Lençóis Paulista/SP
Entrada e Estacionamento Gratuitos
Mais informações: (14) 2106-2828
www.agrifam.com.br

Implemento permite plantio de 380 mudas por hora

Equipamento será comercializado na 11ª Agrifam

A 11ª Agrifam – Feira da Agricultura Familiar – estará com a comercialização de um implemento que permite o plantio de 380 mudas por hora. Com a necessidade de adequação das propriedades rurais perante o novo Código Florestal, o equipamento se apresenta como uma alternativa para agilizar o plantio ou reflorestamento, pois permite a substituição do serviço braçal pelo mecanizado, reduzindo os gastos com mão de obra e, consequentemente, o custo total de plantio, buscando aumento da produção.

Implemento faz plantio de 380/por hora mudas para reflorestamento (foto: divulgação)

Implemento faz plantio de 380/por hora mudas para reflorestamento (foto: divulgação)

A inovação é apresentada pela empresa Serimac. O gerente comercial da empresa, Mauro Pereira da Silva, explica que o equipamento tem um diferencial de seus similares disponíveis no mercado. “O sistema desenvolvido faz a cova e a coroa ao mesmo tempo, sendo uma interna menor para o reservatório de água e uma maior para o mesmo processo, padronizando o plantio das mudas”. Ele também destaque que o “equipamento conta com um perfurador que contém ajustes de altura nos discos, de forma que possibilita seu uso em qualquer tipo de solo, atendendo as varias profundidades de plantio, permitindo o cultivo de seringueiras, frutíferas, entre outras”.

Especificações – O implemento é acoplável ao terceiro ponto do trator, com rotação geral de 700 a 1200 RPM e broca de 4 a 9 polegadas. A coroa interna tem aproximadamente 70 cm, com reservatório de água de 20 a 35 litros. Já a coroa externa mede 145 cm e trabalha com a abertura da cova de 0,30 até 0,60 cm de media.

SERVIÇO:
11ª Agrifam – Feira da Agricultura Familiar
Data: 1, 2 e 3 de agosto
Horário: 8h às 17h
Local: Recinto de Exposições “José Oliveira Prado”
Endereço: Avenida Lázaro Brígido Dutra, 300 – Lençóis Paulista/SP
Entrada e Estacionamento Gratuitos
Mais informações: (14) 2106-2828
www.agrifam.com.br

Declaração de Conformidade ao PPAIS pode ser feita na 11ª Agrifam

Agricultores também poderão fazer declaração do Cadastro Ambiental Rural na Feira

Vista aérea da Agrifam em Lençóis Paulista (foto: César Ramos/Arquivo Fetaesp)

Vista aérea da Agrifam em Lençóis Paulista (foto: César Ramos/Arquivo Fetaesp)

Os agricultores familiares paulistas que visitarem a 11ª Agrifam – Feira da Agricultura Familiar – que acontece no início de agosto, poderão fazer a Declaração de Conformidade ao Programa Paulista de Agricultura de Interesse Social (DCONP). O programa, administrado pelo Instituto de Terra do Estado de São Paulo (Itesp), favorece os agricultores paulistas para a venda direta de sua produção para entidades públicas estaduais, como escolas, presídios e hospitais.

Na Agrifam, a DCONP será emitida pelas equipes de Itesp e Cati (Coordenadoria de Assistência Técnica Integral), no estande institucional do Itesp. O documento tem validade de quatro anos e é essencial para que os agricultores familiares possam participar das Chamadas Públicas do PPAIS para venda de seus produtos, in natura e manufaturados, até o limite de R$ 12 mi anuais por família.

Documentação – os agricultores familiares paulistas interessados em fazer a DCONP devem portar os seguintes documentos: pessoais (CPF e RG), inclusive do cônjuge ou companheiro, agregados e eventuais empregados; nota de produtor, licenças profissionais, carteiras de identificação, quando for o caso; identificação e localização da propriedade ou do local em que exerce suas atividades; Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP) aos que possuem; Declaração de Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural (ITR) e Imposto de Renda (IR) aos que possuírem.

Outra ação voltada à obtenção de documentos na 11ª Agrifam é a possiblidade dos agricultores fazerem a declaração do Cadastro Ambiental Rural (CAR).

SERVIÇO:
11ª Agrifam – Feira da Agricultura Familiar
Data: 1, 2 e 3 de agosto
Horário: 8h às 17h
Local: Recinto de Exposições “José Oliveira Prado”
Endereço: Avenida Lázaro Brígido Dutra, 300 – Lençóis Paulista/SP
Entrada e Estacionamento Gratuitos
Mais informações: (14) 2106-2828
www.agrifam.com.br

IBS apresentará soluções tecnológicas para agricultura familiar na Agrifam

Exposição de projetos será na área de tecnologias aplicadas da Feira

A área de tecnologias aplicadas da Agrifam, onde o agricultor observa na prática a aplicação de soluções tecnológicas para a produção agrícola, contará mais uma vez com os projetos do Instituto BioSistêmico (IBS), apresentados pelas unidades IBSagro, IBSater e IBSpec.

IBS apresenta seus projetos na área de tecnologias aplicadas da Agrifam (foto: Sérgio Siquinelli-Arq. Fetaesp)

IBS apresenta seus projetos na área de tecnologias aplicadas da Agrifam (foto: Sérgio Siquinelli-Arq. Fetaesp)

A unidade IBSpec levará o Rufião Móvel e o Vaca Móvel, tecnologias utilizadas, respectivamente, para o controle de reprodução do gado e para o monitoramento da qualidade do leite e da sanidade animal. Já a unidade IBSater apresentará os projetos de Assistência Técnica e Extensão Rural, com exposição de produtos cultivados por agricultores familiares atendidos pelo IBS.

Em parceria com a Cargill S.A., a unidade IBSagro apresentará o trabalho executado no programa de agricultura familiar da Cargill (Selo Combustível Social) que leva assistência técnica de qualidade para agricultores que cultivam soja em pequenas áreas. Também serão apresentados os projetos de olericultura desenvolvidos pelo IBS em diferentes municípios brasileiros.

A Feira – A 11ª Agrifam acontece de 1 a 3 de agosto, das 8h às 17h, no recinto de exposições “José Oliveira Prado”, localizado à Avenida Lázaro Brígido Dutra, nº 300, em Lençóis Paulista (SP). Com entrada e estacionamento gratuitos, a Feira oferece pesquisa, tecnologias, produtos e serviços que promovam o desenvolvimento da atividade rural, com foco na sustentabilidade econômica e ambiental das propriedades rurais. Mais informações em www.agrifam.com.br.

Sistema intensivo de produção de peixes na 11ª Agrifam

Com crescimento consumo, alternativa de produção é opção para produtores rurais ampliarem seus negócios

O consumo de peixes tem apresentado crescimento no Brasil. O Ministério da Pesca e Aquicultura indica que nos últimos 10 anos, o consumo de pescado por habitante ao ano passou de 6 kg para 14 kg. No exterior o panorama não é diferente. A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO) estima que o mundo precisará de mais 50 milhões de toneladas de pescado até 2030.

Sistema Intensivo de criação de peixes será apresentado na área de tecnologias aplicadas da Agrifam (foto: Arquivo Fetaesp)

Sistema Intensivo de criação de peixes será apresentado na área de tecnologias aplicadas da Agrifam (foto: Arquivo Fetaesp)

O Brasil é um dos países com maior potencial para aumentar sua produção, pois dispõe de água, espécies promissoras, clima favorável e condições de produzir ração. Nesse cenário, os agricultores brasileiros podem ser beneficiados através da produção de peixes em cativeiro. A secretária nacional de Planejamento e Ordenamento da Aquicultura, Maria Fernanda Nince, aponta que “a aquicultura já responde por aproximadamente 40% da produção nacional e com o ritmo de desenvolvimento em torno da atividade, a expectativa é que o Brasil conte, já neste ano, com aproximadamente 1,5 mil hectares de áreas aquícolas e alcance a produção de 1,5 milhão de toneladas de pescado cultivado”.

É nesse cenário de crescimento que oferta e procura entram em sintonia. Uma feira voltada para a apresentação de novas tecnologias e tendências de mercado ao desenvolvimento da atividade rural terá a aquicultura como um dos destaques. Na 11ª Agrifam – Feira da Agricultura Familiar, realizada de 1 a 3 de agosto, pela Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado de São Paulo (Fetaesp), em Lençóis Paulista (SP), será exposto e comercializado, na área de tecnologias aplicadas, um sistema intensivo de produção de peixes.

Expositora explica sistema de produção intensiva para visitantes na Agrifam 2013 (foto: Giuliano Martins)

Expositora explica sistema de produção intensiva para visitantes na Agrifam 2013 (foto: Giuliano Martins)

O projeto é composto por uma estufa, um tanque de cultivo, outro para decantação e um biodigestor. No tanque principal, de 85m3, é possível produzir uma tonelada de peixes por mês. Esse sistema de produção intensiva funciona em um circuito hidráulico fechado, que renova a água utilizada através da produção controlada de algas, que também servem como fonte de alimento para os peixes, reduzindo os gastos com ração em até 30%. Expositor da tecnologia, Luiz Roberto explica que o sistema “é projetado para funcionar em um espaço reduzido, com baixo consumo de água, energia e mão de obra, permitindo assim uma produção econômica aliada a um fácil manejo”.

Braz Albertini, presidente da Fetaesp, aponta uma boa aceitação do produtor rural para a aquicultura. “O sistema de produção intensiva de peixes é uma alternativa de renda para o produtor rural, principalmente para propriedades que não tem uma área extensa ou com lago”. Segundo Luiz Roberto, um de seus clientes foi um agricultor do Rio de Janeiro, que adquiriu o sistema que foi exposto na edição anterior da Agrifam. “Ele queria entrar no ramo da aquicultura, mas não encontrava uma tecnologia que se enquadrava na propriedade e acabou levando três unidades desse sistema”.

Com informações do Ministério da Pesca e Aquicultura

Agricultura Familiar influenciando a economia brasileira

No Ano Internacional do segmento, feira no interior paulista apresenta tendências e inovações

Agrifam 2014 apresenta novidades em pesquisa, tecnologia e produtos (foto: Sérgio Siquinelli-Arq Fetaesp)

Agrifam 2014 apresenta novidades em pesquisa, tecnologia e produtos (foto: Sérgio Siquinelli-Arq Fetaesp)

A agricultura familiar tem ganhado cada vez mais a atenção dos governos, da mídia e do público. Não é à toa. A Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (ONU-FAO) estabeleceu 2014 como o Ano Internacional da Agricultura Familiar. No Brasil, o segmento agrícola tem semeado profissionalismo, cultivado tecnologias e políticas públicas, colhido oportunidades e comercializado saúde. Superando o estigma de agricultura de subsistência, ela representa cerca de 12 milhões de pessoas por todo o país, ocupa 74% da mão de obra no campo, o que a torna responsável por 70% dos alimentos consumidos pelos brasileiros, atingindo atualmente 33% do PIB agropecuário do País.

O ano de 2003 foi decisivo para a guinada da agricultura familiar. O governo federal instituiu o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), o segmento registrou participação de 10% no Produto Interno Bruto (PIB) do agronegócio e a Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado de São Paulo (Fetaesp) iniciou o que é hoje a maior feira do setor, a Agrifam, com a proposta de oferecer ao produtor rural o que há de mais moderno em pesquisas e tecnologias para o desenvolvimento da atividade.

Sendo o Brasil um país de proporções continentais e um dos principais produtores de alimentos no mundo, a realização de eventos voltados para a agricultura se tornaram indispensáveis para a atividade rural. Feiras de perfil agrícola começaram a ser realizadas por várias regiões brasileiras, muitas influenciadas pela realização da Agrifam. “É uma referência para todo o país”, afirma o presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura, Alberto Broch.

Com dez edições realizadas, a Feira da Fetaesp reflete toda a importância da agricultura familiar para a produção agrícola. O evento reúne todas as tendências do mercado, apresentando tecnologia em pesquisa e produtos, atendendo todas as fases da cadeia produtiva. Em três dias de evento, são comercializados tratores, máquinas e implementos, ferramentas e insumos, entre outros artigos com o atendimento especializado de empresas. Também são apresentados novos cultivares e demais tecnologias aplicadas à atividade rural. A Feira conta com um panorama de pesquisas e conhecimentos divulgados por renomadas entidades e universidades, além de palestras com temas em destaque no cenário agrícola brasileiro.

O presidente da Fetaesp, Braz Albertini, aponta que o avanço econômico da agricultura familiar é devido “ao árduo trabalho da atividade, que se supera através de um grande sistema que parte da pesquisa, passando pelo avanço tecnológico que facilita a produção até a comercialização com base nas políticas públicas vigentes”. Por isso idealizou a Feira que em agosto chega a 11ª edição.

Trabalhadores são afetados por crise no setor da cana

Fetaesp e sindicatos atuam para garantir direitos para a categoria

Os trabalhadores rurais assalariados que atuam na cultura da cana estão temerosos com a crise no setor.  A preocupação da categoria fica por conta do atual cenário na indústria. O ICFSS (Índice de Confiança dos Fornecedores do Setor Sucroenergético) – que mensura a confiança dos fornecedores da cadeia produtiva canavieira – está em 0,41, abaixo do considerado positivo ao índice, que é 0,50. Essa apreensão é agravada pela diminuição de 60 mil postos de trabalho nos últimos dois anos, além da falência de muitas usinas. Outras ainda em atividade têm graves problemas de recuperação judicial.

Corte de Cana: diminuição de 60 mil postos de trabalho em 2 anos (foto: Giuliano Martins)

Corte de Cana: diminuição de 60 mil postos de trabalho em dois anos (foto: Giuliano Martins-Arquivo Fetaesp)

Para o secretário-geral da Fetaesp, Roberto dos Santos a crise é resultado de uma administração equivocada. “Ela é jogada nas costas dos trabalhadores”. Ele critica a atuação do setor patronal. “Ano a ano, eles relatam estar com problemas, mas não atuam para saná-los, repassam os prejuízos aos trabalhadores e esperam uma solução do governo”.

Os trabalhadores reivindicam reajuste salarial acima do percentual do INPC, que no fechamento desta edição registrava 6,07%. Eles estudam realizar paralisações para reivindicar seus direitos conforme cláusulas da pauta de negociação elaborada pela Fetaesp junto aos sindicatos.

A atuação sindical é firme perante o cenário. Alguns sindicatos já fizeram mesas de negociação e conquistaram um reajuste de 7%, acima do INPC.