Inscrições abertas para Concurso Inventor Rural

Com premiação de R$ 6,2 mil, evento ocorre durante a 11ª Agrifam

Estão abertas as inscrições para o Concurso Inventor Rural, que acontece anualmente durante a Agrifam, Feira da Agricultura Familiar, realizada pela Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado de São Paulo (Fetaesp). O objetivo do Concurso é incentivar a criatividade de agricultores na apresentação de inventos que possam facilitar a atividade no campo, através de criações produzidas de forma rústica, barata e, preferencialmente, com material reciclável ou renovável, com foco na sustentabilidade.

Agricultor demonstra sua criação para público na Agrifam (foto: Giuliano Martins/Arq Fetaesp)

Agricultor demonstra sua criação para público na Agrifam (foto: Giuliano Martins/Arq Fetaesp)

Os participantes terão os três dias de Agrifam para demonstrar suas invenções ao público estimado em 30 mil visitantes. Em edições anteriores, alguns agricultores tiveram contato com representantes de empresas e acabaram vendendo suas criações, que passaram a atender o mercado agrícola, tanto nacional como internacional.

Este ano, a premiação é de R$ 6,2 mil. O primeiro colocado receberá R$ 3 mil, enquanto o segundo prêmio é de R$ 2 mil, e R$ 1,2 mil é a premiação ao terceiro colocado – descontada a alíquota de 20% do imposto de renda. Uma equipe técnica fará a avaliação dos inventos. O resultado dos ganhadores é conhecido no início da tarde do último dia da Feira. Todos os concorrentes recebem certificado pela participação.

Inscrições – Quem desejar se inscrever basta verificar o regulamento disponível no site da Agrifam (www.agrifam.com.br). Mais informações podem ser obtidas pelo e-mail inventorrural@agrifam.com.br ou pelo telefone (14) 2106-2800. As inscrições vão até o dia 15 de julho.

A Feira – A 11ª Agrifam ocorre de 1 a 3 de agosto, das 8 às 17h, no recinto de exposições “José Oliveira Prado”, comumente conhecido por recinto Facilpa, em Lençóis Paulista, localizado à Avenida Lázaro Brígido Dutra, 300. A entrada e o estacionamento são gratuitos.

Fetaesp inicia venda de espaços para a Agrifam

Comercialização de máquinas conta com atendimento bancário especializado na Feira

Áreas abertas e cobertas apresentam novidades e linhas de produtos específicos para atividade agrícola (foto: Sérgio Siquinelli-Arq Fetaesp)

Áreas abertas e cobertas apresentam novidades e linhas de produtos específicos para atividade agrícola (foto: Sérgio Siquinelli-Arq Fetaesp)

A Fetaesp já iniciou as vendas de espaços para a 11ª Agrifam – Feira da Agricultura Familiar que será realizada nos três primeiros dias de agosto, em Lençóis Paulista (SP). O local do evento, comumente conhecido como Recinto Facilpa, é estruturado para eventos de grande porte, podendo receber com segurança e comodidade um grande número de pessoas. Para este ano é esperada uma movimentação financeira de R$ 20 milhões. Várias empresas do setor agrícola, expositoras em anos anteriores, já confirmaram sua participação. Há tratores, máquinas, implementos e demais equipamentos.

A Agrifam dá a oportunidade aos produtores de adquirirem produtos específicos para sua atividade, que fazem parte das principais linhas de financiamento voltadas à categoria. Uma agência bancária atenderá no local da Feira com agentes especializados no agronegócio, facilitando as negociações. Uma área para demonstrações permite que o agricultor confira na prática as funcionalidades do que é comercializado.

Expositores – Para a comercialização na Agrifam são oferecidos estandes em áreas cobertas e abertas. Os expositores terão acesso à internet, bem como estacionamento exclusivo próximo dos estandes. São 107,438 m2 de área total, com rede de energia elétrica, sanitários de alvenaria e ótimas condições de limpeza e conforto. São várias opções de espaços, com tamanhos variados. Uma estrutura pronta para melhor atender aos produtores rurais que visitam a Feira e possibilitar bons negócios.

Para expor na Agrifam, entre em contato com o Departamento Comercial da Feira, pelo telefone (14) 2106-2828 ou e-mail comercial@agrifam.com.br.

Dilma Rousseff recebe Pauta do Grito da Terra 2014

Documento contém reivindicações para o trabalho na agricultura

A presidente da República Dilma Rousseff recebeu na tarde de 3 de abril, a pauta do 20º Grito da Terra Brasil (GTB), entregue por uma comitiva formada por diretores da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag) e dirigentes das Federações de Trabalhadores na Agricultura (Fetags) de todas as regiões do país. Representando os trabalhadores paulistas estava o presidente da Fetaesp, Braz Albertini.

Representantes do sindicalismo rural no campo entregam pauta de reivindicações para Dillma Rousseff (foto: Roberto  Stuckert Filho/PR)

Representantes do sindicalismo rural no campo entregam pauta de reivindicações para Dillma Rousseff (foto: Roberto Stuckert Filho/PR)

A pauta conta com 23 pontos centrais de reivindicações, tendo sua elaboração iniciada nas bases de trabalho de cada sindicato, organizadas pelas Federações e compiladas em um documento único que trata de reforma agrária, do fortalecimento da agricultura familiar, meio ambiente, juventude e sucessão rural, assalariamento rural, do Plano Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica (Planapo), de políticas sociais, relações internacionais, e da organização e enquadramento sindical. Ao todo, são mais de 300 reivindicações.

Com a entrega do documento, espera-se que as negociações com os diversos ministérios e órgãos governamentais iniciem em 12 de maio e sejam encerradas em 22 de maio, com o compromisso de a própria presidente apresentar os resultados. Neste período, serão realizadas ações de massa coordenadas pela Contag, Fetags e STRs em todo o País. Os ministros do Desenvolvimento Agrário (MDA), Miguel Rossetto, e da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, presentes na audiência, coordenarão o processo de negociação da pauta do GTB.

Na oportunidade, Braz Albertini entregou um convite da Agrifam para Dilma Rousseff. A Feira da Agricultura Familiar realizada pela Fetaesp acontece de 1 a 3 de agosto oferecendo ao trabalhador rural o que há de mais atual em tecnologia e pesquisa para desenvolvimento da atividade.

Com informações da Imprensa Contag

Fetaesp e sindicatos ajudarão MPT para fiscalizações na área rural

Objetivo é garantir o cumprimento de direitos trabalhistas

O Ministério Público do Trabalho (MPT) convidou membros da Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado de São Paulo (Fetaesp) e dos Sindicatos de Trabalhadores Rurais (STR’s) que atuam na região Centro-Sul para uma reunião que tratou de formalizar uma parceria para intensificar a fiscalização realizada na área rural.

Procurador reunido com dirigentes sindicais em Capão Bonito (foto: Arquivo Fetaesp)

Procurador reunido com dirigentes sindicais em Capão Bonito (foto: Arquivo Fetaesp)

A reunião aconteceu em 19 de março, no sindicato de Capão Bonito, com a presença de dirigentes sindicais de mais de 20 sindicatos e com Gutavo Rizzo Ricardo, coordenador da Procuradoria do Trabalho no município de Sorocaba.  A proposta é realizar uma atuação em que os dirigentes sindicais, que têm contato direto com os trabalhadores de suas bases, apresentem denúncias ao MPT informando as condições de trabalho na região.

O foco da fiscalização será a exploração do trabalho infantil, análogo, escravo e informal, bem como o descumprimento da Norma Regulamentadora 31, que dispõe sobre segurança e saúde do trabalhador rural, além de outros direitos sociais dos trabalhadores.

As denúncias poderão ser formalizadas contendo CNPJ ou CEI dos empregadores, com endereço e telefones. Elas poderão ser protocoladas ou enviadas via correio eletrônico. Com essas informações, o MPT pode dar início ao ato de investigação, além de fazer fiscalização no local de trabalho acompanhado dos dirigentes sindicais. Comprovado o descumprimento dos direitos, o MPT irá intimar o empregador para assinatura do TAC (Termo de Ajustamento de Conduta). Havendo a recusa do empregador ao ato, o MPT poderá entrar com Ação Civil Pública.

PNHR pela Fetaesp está em pleno funcionamento

Moradias em São Miguel Arcanjo estão em fase de acabamento

Moradia em fase de acabamento no município de São Miguel Arcanjo (foto: Arquivo Fetaesp)

Moradia em fase de acabamento no município de São Miguel Arcanjo (foto: Arquivo Fetaesp)

Dando continuidade ao trabalho de execução do Programa Nacional de Habitação Rural (PNHR), a Fetaesp, entidade organizadora, está ampliando o processo de divulgação em novas cidades e criando novos grupos em municípios que já estão com o programa em andamento. É o caso de Itararé e São Miguel Arcanjo, que estão com as moradias em fase de acabamento, e que já constam com novos projetos em análise na Federação, ou no agente financeiro.

Atualmente estão em análise na Federação projetos para execução em 15 municípios, incluindo novos grupos em Itararé e Piedade. As demais cidades são Cajati, Capão Bonito, Dracena, Gália, Itaberá, Itapeva, Jales, Oriente, Mirante do Paranapanema, Santa Fé do Sul, Taquarituba, Parapuã e Paranapanema. Os projetos que já passaram pela Fetaesp foram encaminhados aos agentes financiadores e atendem os municípios de Fartura, Itaberá, Marília, Pacaembu, Piedade, Presidente Epitácio e Regente Feijó.

Trabalhadores rurais de nove cidades receberam a apresentação do programa: Apiaí, Caconde, Caiuá, Emilianópolis, Irapuru, Itaoca, Presidente Prudente, Santa Cruz do Rio Pardo e São Pedro do Turvo.

Diretoras da Fetaesp em apresentação do PNHR em Caiuá (foto: Arquivo Fetaesp)

Diretoras da Fetaesp em apresentação do PNHR em Caiuá (foto: Arquivo Fetaesp)

A Fetaesp pretende apresentar na Agrifam uma maquete em tamanho natural de uma moradia rural que faz parte do PNHR. “Com a divulgação do programa na Feira podemos atingir mais trabalhadores rurais que possam acessar essa política pública e, com ela dar melhor qualidade de vida e combater o êxodo rural”, salienta a tesoureira e coordenadora dos projetos de habitação da Federação, Sônia Sampaio.

Dirigente Sindical é eleita para Colegiado Territorial

Codeter no Pontal do Paranapanema representa 32 cidades

A presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Presidente Epitácio, Fábia Cachoni, foi eleita membro da nova diretoria do Colegiado de Desenvolvimento Territorial (Codeter) do Pontal do Paranapanema, em eleição realizada em 26 de fevereiro. O colegiado é formado por 20 representantes da sociedade civil organizada e 20 do poder público.

Fábia, a segunda na foto, entre os demais representantes do Codeter no Pontal do Paranapanema (foto: cedida)

Fábia, a segunda na foto, com outros representantes do Codeter no Pontal do Paranapanema (foto: cedida)

A função do Codeter é elaborar propostas, projetos e ações focando o desenvolvimento sustentável dos Territórios da Cidadania. No Pontal, o Território é formado por 32 cidades: Alfredo Marcondes, Álvares Machado, Anhumas, Caiabú, Caiuá, Emilianópolis, Estrela do Norte, Euclides da Cunha Paulista, Iepê, Indiana, João Ramalho, Marabá Paulista, Martinópolis, Mirante do Paranapanema, Nantes, Narandiba, Piquerobi, Pirapozinho, Presidente Bernardes, Presidente Epitácio, Presidente Prudente, Presidente Venceslau, Rancharia, Regente Feijó, Ribeirão dos Índios, Rosana, Sandovalina, Santo Anastácio, Santo Expedito, Taciba, Tarabai e Teodoro Sampaio.

Fetaesp apresenta panorama histórico da DAP

Dirigentes sindicais acompanharam palestra ministrada por assessor da Contag

Na tarde de 21 de março, dirigentes dos sindicatos de trabalhadores rurais filiados à Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado de São Paulo (Fetaesp) acompanharam uma palestra que traçou um panorama histórico da DAP (Declaração de Aptidão ao Pronaf – Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar).

O objetivo do evento é demonstrar qual o impacto e as alterações ocorridas ao longo dos anos na agricultura após a implementação do Pronaf, uma reivindicação do Movimento Sindical dos Trabalhadores(as) Rurais (MSTTR), conquistada em 1996. Paulo Poleze, assessor de políticas agrárias da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag), ministrou a palestra. Ele destacou as principais mudanças, tais como a renovação da DAP, que passou de seis para três anos; os limites de acesso com base na renda dos produtores, entre outros pontos.

Atuação sindical no campo para validação de direitos é tema de palestra na Fetaesp (foto: Giuliano Martins)

Atuação sindical no campo para validação de direitos é tema de palestra na Fetaesp (foto: Giuliano Martins)

Braz Albertini, presidente da Fetaesp, enfatiza a necessidade do MSTTR ser atuante também nesse momento, como forma de reafirmar essa conquista da categoria. “Como se trata de uma política agrícola conquistada pelo movimento sindical no campo, é nosso dever também reger um controle social eficaz, para que tenhamos certeza de quem necessita desse benefício terá acesso”.