Fetaesp assina contratos do PNHR em Itaberá

Evento ocorre no dia 3 de novembro e conta com a participação de prefeito da cidade

DSCN5986

Nova sede do Sindicato Rural de Itaberá, onde ocorrerá o evento. (Foto: Camila Benini/STR Itaberá)

Mais seis famílias serão beneficiadas com o Programa Nacional de Habitação Rural na cidade de Itaberá, região sul do estado de São Paulo.

Estarão presentes o presidente do Sindicato Rural local,  José Mariano, o prefeito da cidade, José Benedito Garcia e  o presidente da Câmara Municipal, Jair Briene Sobrinho.

Além das famílias beneficiárias do programa, o presidente da Fetaesp, Braz Albertini, e a tesoureira, Sônia Sampaio, estarão na ocasião.

A cidade de Itaberá inaugurou recentemente uma nova sede do Sindicato dos Trabalhadores Rurais, localizada na Rua. As novas instalações localizam-se a Rua 07 de setembro, 347 – centro.

Programa
O PNHR compõe o ‘Minha Casa, Minha Vida’ e tem o objetivo de reduzir o déficit habitacional rural, oferecendo condições para que os produtores rurais tenham moradias de acordo com suas necessidades, seja por meio de construção ou reformas.

Para mais informações, os interessados podem procurar pelo Sindicato dos Trabalhadores ou de Trabalhadores Rurais mais próximo­­.

Fetaesp faz reuniões com agricultores das associações de Socorro

Equipe da federação apresentou seus trabalhos e fez treinamento sobre o Cadastro Ambiental Rural

IMG_2752

Reunião no Espaço do Produtor Rural, em Socorro. (Foto: Arquivo Fetaesp)

A Federação dos Trabalhadores na Agricultura Familiar do Estado de São Paulo (Fetaesp) foi para a cidade de Socorro no dia 23 de outubro.

Uma equipe da Fetaesp fez treinamentos para a realização do Cadastro Ambiental Rural (CAR) e também apresentou os trabalhos da federação, em especial o de auxiliar os agricultores familiares no acesso às políticas públicas.

A Fetaesp trabalha para ajudar os agricultores familiares no acesso às políticas públicas, como o Plano Nacional de Habitação Rural e o Plano Nacional de Crédito Fundiário, além de fornecer informações referentes a associações, cooperativas e organizações de produtores.

A Fetaesp desenvolve cursos nas áreas de Promoção Social, Formação Profissional, Saúde e diversos outros temas objetivando o aperfeiçoamento do trabalhador rural, a fim de ampliar seus conhecimentos e contribuir para seu desenvolvimento profissional.

Os representantes da Fetaesp foram o presidente Braz Albertini, a tesoureira Sônia Sampaio e a engenheira agrônoma Jéssica Tiemi Hama.

A federação conta com mais de 100 sindicatos filiados e tem sua sede administrativa localizada em Bauru, no Centro-Oeste paulista, o que facilita o contato, agilizando o atendimento direto às bases de atuação. Seus diretores ocupam cadeiras em diversas Comissões e Conselhos que atuam nos setores do trabalho, emprego, agricultura e agronegócio.

Previdência: Segurado precisa renovar senha no banco até 31/12/2014

Renovação pode ser feita no banco e quem não a fizer pode deixar de receber o pagamento

Até 31 de dezembro de 2014, todos os beneficiários e beneficiárias da Previdência Social precisam renovar a senha utilizada nas agências bancárias para receber os benefícios previdenciários, sob pena de ter o seu pagamento interrompido.

DSCF7160

Com a medida, governo quer evitar pagamentos indevidos. (Foto: Paulo Palma Beraldo)

A renovação da senha é considerada “prova de vida” perante a Previdência Social e o procedimento é realizado diretamente no banco em que o segurado recebe o benefício.

Ela é feita mediante a apresentação de um documento de identificação com foto (carteira de identidade, carteira de trabalho, carteira nacional de habilitação e outros). Portanto, não é necessário ir à Agência do INSS para fazer o procedimento.

Os beneficiários que não puderem ir até às agências bancárias por motivos de doença ou dificuldades de locomoção, podem realizar a renovação da senha/ prova de vida por meio de um procurador devidamente cadastrado no INSS.

O procedimento é obrigatório para todos os beneficiários(as) da Previdência Social, inclusive os trabalhadores e trabalhadoras rurais, que recebem o pagamento de seus benefícios por meio de conta corrente, conta poupança ou cartão magnético. “Essa é uma exigência do governo para evitar que haja pagamento indevido de benefícios e garantir segurança nesse procedimento a todos os previdenciários”, explicou o secretário de Políticas Sociais da CONTAG, José Wilson Gonçalves.

De acordo com o INSS, dos 31,1 milhões de beneficiários e beneficiários que recebem benefícios, 29 milhões já realizaram a renovação de senha que começou a ser feita em maio de 2012. Dentre os mais de dois milhões de beneficiários(as) que ainda não regularizaram a sua situação, 620 mil são rurais.

Os bancos estão comunicando os beneficiários(as) sobre a renovação da senha por meio de mensagens informativas, disponibilizadas nos seus caixas eletrônicos e sites na internet. E a CONTAG convoca as Federações e Sindicatos para divulgarem essas informações nos estados e municípios e orientarem os trabalhadores e trabalhadoras rurais sobre a importância da renovação da senha/prova de vida para que os seus benefícios não sejam interrompidos.

No entanto, a CONTAG alerta os trabalhadores e trabalhadoras rurais que é preciso apenas renovar a senha. “É preciso ficar alerta aos casos onde os bancos aproveitam para pegar assinaturas dos aposentados(as) e pensionistas para a contratação de empréstimo consignado, cartão de crédito e abertura de contas. Não é preciso adquirir nenhum dos produtos oferecidos pelos agentes financeiros”, alertou José Wilson.

Com informações da CONTAG

Países devem investir em inovação para a agricultura familiar, alerta FAO

FAO publica relatório sobre o estado da agricultura familiar no planeta e alerta para a necessidade de incentivos à atividade

As propriedades familiares são parte importante na luta para garantir a segurança alimentar mundial e o desenvolvimento rural sustentável. Para isso, porém, é preciso investir em inovação a fim de melhorar a produção e as práticas de gestão com o objetivo de mudar a realidade de muitos desses agricultores.

(Foto: Giuliano Martins)

Agricultura familiar é a forma dominante de ocupação no campo. (Foto: Giuliano Martins)

Esses dois aspectos foram os pontos analisados no relatório O estado mundial da agricultura e da alimentação, 2014: inovação na agricultura familiar, produzido pela Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) e publicado no Dia Mundial da Alimentação.

“A agricultura familiar é, de longe, a forma dominante de agricultura no mundo. Estima-se que ocupe cerca de 70% a 80% das terras agrícolas e produza mais do que 80% dos alimentos no mundo em termos de valor”, ressalta o estudo.

Mas, apesar da importância dessas estruturas, diversos agricultores familiares vivem em situação de pobreza e de insegurança alimentar, segundo a FAO. Para modificar esse cenário, a entidade recomenda o investimento na inovação, por meio de novas ideias, tecnologias e processos.

Para que essa inovação seja eficiente, a FAO alerta que é preciso levar em consideração as diferenças existentes entre as propriedades e a realidade das famílias em cada um dos países. O documento também destaca que os esforços públicos devem garantir investimentos em pesquisa, principalmente de temas voltados à variedade de cultivo, além de serviços de orientação e capacitação de agricultores, com estruturas de mercado que sejam cada vez mais inclusivas.

“Os agricultores familiares devem ter o conhecimento e incentivos econômicos e políticos necessários para prestar serviços ambientais básicos, como a proteção de bacias hidrográficas, conservação e manutenção da biodiversidade de carbono, entre outros”, cita o relatório.

Outro destaque é o incentivo à criação de organizações de produtores e cooperativas com base na comunidade. Segundo a FAO, essas organizações comunitárias são importantes para a superação de obstáculos, incentivo à inovação e para que a agricultura familiar se fortaleça alcançando novos mercados e gerando renda.

Segundo o documento, para que a inovação seja possível, é preciso haver condições macroeconômicas estáveis, regimento jurídico e regras transparentes, ferramentas para a gestão de riscos e infraestrutura de mercado.

Agência Brasil

Programa levará mais tecnologia a agricultores familiares

Foi lançado em Brasília o Programa Nacional de Inovação e Sustentabilidade na Agricultura Familiar, parceria do MDA com a Embrapa

Uma parceria do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) levará mais tecnologia para agricultura familiar brasileira.

A ação prevê a formação de mais de quatro mil agentes de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater), que vão levar modernização e tecnologia para cerca de 420 mil famílias de agricultores. A execução das ações do programa foi firmada em dois convênios, com investimento superior a R$ 9,2 milhões.

Programa prevê a capacitação de mais de 4.000 técnicos. (Foto: Giuliano Martins)

Investimento superou a casa dos R$ 9 bilhões (Foto: Giuliano Martins)

O ministro do MDA, Laudemir Müller, explica que o acesso a novas tecnologias vai dar mais segurança aos produtores rurais.

“O nosso País precisa de uma agricultura familiar forte para produzir alimentos. Esta não é uma ação isolada, ela se insere a um conjunto de políticas voltadas para garantir renda e produtividade aos agricultores familiares”, avaliou o ministro.

Segundo ele, os agentes de Ater terão mais capacidade para instruir e levar tecnologia aos agricultores familiares. “Consequentemente, os agricultores familiares vão produzir mais e gerar mais renda”, afirmou.

O presidente da Embrapa, Maurício Antônio Lopes, ressaltou a pluralidade do rural brasileiro e apontou o caminho para driblar os desafios. “Temos que superar os gargalos, para que o conhecimento e a tecnologia cheguem para todos os milhões de agricultores familiares brasileiros. Essa é a nossa missão”, observou.

Componente do Programa Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (Pronater), o projeto tem como objetivo intensificar o processo de inovação na agricultura familiar.

Os 4.060 técnicos formados passarão pelos três pilares estruturantes do programa: Oficinas de Concertação, que são fóruns de trabalho com participação de gestores e lideranças de Ater; Eventos Temáticos, que consistem no compartilhamento e na organização de conhecimentos e tecnologias; e Cursos de Formação, direcionados prioritariamente aos agentes para que eles se atualizem tecnologicamente e metodologicamente.

Com informações do Ministério do Desenvolvimento Agrário

Fetaesp é convidada para participar de evento na ESALQ

Estiveram presentes também autoridades regionais e estaduais para assinatura de Protocolo entre ESALQ e governo paulista

A Federação dos Trabalhadores na Agricultura Familiar do Estado de São Paulo (Fetaesp) foi convidada para participar da assinatura do Protocolo de Intenções entre a ESALQ e o governo do estado de São Paulo, no dia 7 de outubro, em Piracicaba-SP.

(Foto: Divulgação)

Representantes da Fetaesp ao lado de autoridades políticas. (Foto: Divulgação)

A assinatura fez parte da 57ª Semana Luiz de Queiroz, da ESALQ. Na ocasião, estiveram presentes os secretários estaduais Rubens Rizek (Meio Ambiente) e Mônika Bergamaschi (Agricultura).

Também compareceram o prefeito de Piracicaba, Gabriel Ferrato, e o reitor da universidade, José Caixeta Filho. Os representante da Fetaesp foram o presidente Braz Albertini e a tesoureira Sônia Sampaio.

A assinatura do documento prevê o auxílio a agricultores familiares de Piracicaba e outras 10 cidades da região a realizarem o Cadastro Ambiental Rural, obrigatório a todos os produtores até maio de 2015.

A ação reforça o compromisso da Fetaesp com o bom uso do meio ambiente, já que a entidade está realizando capacitações e treinamentos em sindicatos paulistas com o apoio da Secretaria do Meio Ambiente do estado de São Paulo.

Agricultura familiar já contratou R$ 8,3 bilhões na safra 2014/2015

Número é 33% superior ao contratado no mesmo período da safra passada

Paulo Palma Beraldo Fetaesp (292)

Foram realizados mais de 612 mil contratos de financiamento. (Foto: Paulo Palma Beraldo)

Em todo o Brasil, durante os três primeiros meses da safra 2014/2015, os agricultores familiares contrataram R$ 8,3 bilhões nas diversas linhas de crédito rural do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf).

“Esses números demonstram a força da agricultura familiar no Brasil, que vem se modernizando e adquirindo tecnologias de ponta para produzir cada vez mais”, diz Braz Albertini, presidente da Federação dos Trabalhadores na Agricultura Familiar do Estado de São Paulo.

O número de contratos efetivados entre julho e setembro de 2014, em todo o País, foi de 612.708. No mesmo período da safra passada, foram efetivados 575.226 financiamentos. O crescimento nacional no número de contratos foi de 6,5%.

Mulheres rurais

As agricultoras familiares requisitaram, na safra atual, R$ 1,138 bilhão, em 159.398 contratos. Os dados representam um recorde em comparação à safra anterior, quando R$ 851 milhões foram contratados por mulheres, em 140.749 contratos. O número de contratos aumentou 13,25% e gerou acréscimo de 33,73% no valor solicitado.

Com informações do Ministério do Desenvolvimento Agrário