Fetaesp auxilia agricultores familiares a realizarem o Cadastro Ambiental Rural

Ação foi dividida por regiões do estado

qq2

Cerca de 15 mil produtores rurais paulistas já fizeram o CAR. (Foto: Divulgação)

A Federação dos Trabalhadores na Agricultura Familiar no Estado de São Paulo (Fetaesp) está ajudando agricultores familiares paulistas a realizarem o Cadastro Ambiental Rural, que deve ser feito por todos os agricultores até maio de 2015.

A Fetaesp realizou treinamentos e capacitações nas cidades de Votuporanga, São José dos Campos, Marília, Capão Bonito e Regente Feijó. Outros treinamentos serão realizados nos próximos meses. Houve presença de técnicos da Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo (SMA-SP), parceira da Fetaesp, para auxiliar no processo.

Para Braz Albertini, presidente da Fetaesp, essas capacitações são importantes para diminuir a insegurança dos produtores rurais e dar continuidade à parceria que a Fetaesp mantém com a Secretaria do Meio Ambiente e com os agricultores familiares. “Com essas ações, a Fetaesp reforça o seu trabalho de apoio aos produtores em busca do bom uso da terra e da preservação ambiental”, diz.

Durante a Agrifam 2014, feira de agricultura familiar realizada pela Fetaesp, foi possível aos agricultores visitantes fazerem o CAR gratuitamente, com orientação de uma equipe da SMA-SP.

Para fazer o CAR, é preciso levar documentos pessoais (CPF e RG), número de telefone e endereço da propriedade, além do documento de comprovação de propriedade ou posse e a matrícula ou escritura pública.

Por que fazer o cadastro?
 O proprietário que não se cadastrar poderá ser notificado e receber multas. A partir do ano de 2017, somente proprietários com o CAR poderão acessar o crédito agrícola. Até o momento, 15.879 propriedades foram cadastradas no estado de São Paulo. De acordo com a Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, há em torno de 325 mil propriedades rurais no estado.

Lei que define aumento de biodiesel no diesel traz vantagem para produção familiar

Governo aumentou o percentual de biodiesel no óleo diesel comercializado para o consumidor final para 7%

A medida, que vai valer a partir de 1º de novembro, ampliará o mercado e a procura por matéria-prima da agricultura familiar.

Tamires Kopp-3584

Medida deve aumentar em até 40% o mercado brasileiro de biodiesel. (Foto: Tamires Kopp)

“Com essa nova medida, há uma ampliação em 40% do mercado brasileiro de biodiesel e isso, certamente, amplia a demanda por produtos da agricultura familiar, gera mais renda para os produtores e diminui a necessidade de importação”, explica o ministro do Desenvolvimento Agrário, Laudemir Müller.

A inciativa, segundo o ministro, vai beneficiar 84 mil famílias de agricultores em todo o Brasil. A Lei 13.033 determina que o biodiesel necessário à adição obrigatória ao óleo diesel deverá ser fabricado, preferencialmente, a partir de matérias-primas produzidas pela agricultura familiar.

Benefício

Atualmente, 43 das 55 usinas brasileiras possuem o Selo Combustível Social – o que corresponde a 78% das usinas – e participam do Programa Nacional de Produção e Uso do Biodiesel – da Secretaria de Agricultura Familiar Familiar/MDA. Elas respondem por 99% da produção do biodiesel brasileiro.

Com a mistura de 5% de biodiesel (B5), o Brasil produzia cerca de 3 bilhões de litros/ano, dado que já colocava o País como 3º maior produtor de biodiesel do mundo. A nova alteração deverá colocar o Brasil como 2º maior produtor do mundo, a partir de 2015, porque o volume de biodiesel a ser produzido é 40% maior que o mercado com B5.

Em 2013, os maiores produtores foram os EUA (1º), a Alemanha (2º) e o Brasil (3º). O Brasil também está entre os maiores consumidores, ficando em 2º lugar. O maior consumidor são os Estados Unidos.

Com informações do Ministério do Desenvolvimento Agrário

Agricultura familiar contribui para erradicação da fome no Brasil, diz ONU

Em 2013, investimentos em programas de apoio ao setor superaram 17 bilhões

As políticas públicas voltadas para agricultura familiar são destaques no combate à fome e na superação da extrema pobreza. É o que revelam os relatórios “Estado da Insegurança Alimentar no Mundo” e “Estado da Segurança Alimentar e Nutricional no Brasil – Um Retrato Multidimensional”, divulgados pela Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO).

(Foto: Giuliano Martins)

Agricultura familiar produz 70% dos alimentos consumidos pelos brasileiros. (Foto: Giuliano Martins)

De acordo com os documentos, a agricultura familiar desempenhou papel importante no aumento da oferta de alimentos, por causa do incentivo das políticas públicas. Somente no ano passado, os investimentos em programas de apoio aos agricultores familiares somaram R$ 17,3 bilhões.

Outra ação reconhecida pela FAO foi o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) que estabelece, como meta, a compra de 30% dos alimentos que compõe a merenda escolar diretamente dos produtores locais.

Para o ministro do Desenvolvimento Agrário, Laudemir Müller, a reforma agrária também merece menção nos êxitos alcançados pelo País. “Com políticas voltadas para a reforma agrária e concessão de crédito, possibilitamos aos trabalhadores uma alimentação melhor, além de condições para que produzissem excedentes que contribuíram com a saúde da população brasileira. Geramos renda, reduzimos a desigualdade e aumentamos a capacidade de produção do País”, destacou.

Representante Regional Adjunta da FAO para a América Latina, Eve Crowley explicou que os avanços brasileiros foram possíveis porque os programas de distribuição de renda e erradicação da pobreza estão vinculados às políticas de fortalecimento da agricultura familiar.  “A agricultura familiar é uma poderosa ferramenta para garantir a segurança alimentar da população mundial e das futuras gerações. Essa é uma visita de agradecimento e de esperança para podermos continuar atuando juntos”.

Brasil sai do Mapa da Fome

O desempenho brasileiro é um marco. De acordo com os relatórios apresentados pela FAO, o Brasil saiu do Mapa Mundial da Fome em 2014.  Os documentos também mostram que o Indicador de Prevalência de Subalimentação, medida empregada pela FAO há 50 anos para dimensionar e acompanhar a fome em nível internacional, tem no Brasil nível menor que 5% – percentual fixado pela organização para considerar um país superou o problema da subnutrição.

Com informações do MDA

Em setembro, agricultores familiares terão desconto nos financiamentos de 25 culturas

Desconto está ligado ao Programa de Garantia de Preços para a Agricultura Familiar (PGPAF) neste mês de setembro

Propriedade do Senhor Nivaldo dos Santos Cezar de 49 anos, produ

Programa contempla maior parte dos alimentos produzidos pela agricultura familiar. (Foto: Albino Oliveira/ MDA)

São beneficiados os produtores de açaí, algodão em caroço, arroz em casca, babaçu, batata, borracha natural extrativa, borracha natural cultivada, cacau, cana de açúcar, castanha de caju, feijão e feijão caupi, juta/malva, laranja, leite, manga, mangaba, maracujá, milho, pequi, piaçava (fibra), raiz de mandioca, sorgo, trigo e umbu.

Os bônus foram definidos a partir de uma pesquisa de preço no mercado. Aqueles que ficaram com o valor abaixo do esperado no início da safra foram incluídos na lista. Assim, todos os agricultores que acessaram o Pronaf para produzir ou investir nas lavouras de alimentos contemplados na lista do PGPAF recebem o desconto, que varia conforme o produto e o estado onde ele é cultivado. O programa contempla os principais alimentos produzidos pela agricultura familiar.

A portaria foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta quarta-feira (10). O desconto vale para o período de 10 de setembro a 9 de outubro de 2014. Os preços e o bônus têm como referência o mês de agosto.

Cálculo mensal

O bônus do PGPAF é calculado todo mês pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) e divulgado pela Secretaria da Agricultura Familiar do Ministério do Desenvolvimento Agrário (SAF/MDA). A Conab faz um levantamento nas principais praças de comercialização dos produtos da agricultura familiar e que integram o PGPAF.

Com informações do MDA

Agricultura Familiar contrata 5,36 bilhões em recursos do Pronaf

Valor representa 22% dos R$ 24,1 bilhões previstos no Plano Safra 2014/2015

(Foto: Giuliano Martins)

Número é superior aos contratos firmados no mesmo período do ano anterior. (Foto: Giuliano Martins)

Nos dois primeiros meses da safra atual, agricultores familiares acessaram R$ 5,36 bilhões do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) – para aumento da produção e compra de máquinas e equipamentos a juros baixos. O valor representa 22% dos R$ 24,1 bilhões previstos no Plano Safra 2014/2015.

De 1º de julho a 31 de agosto deste ano foram realizados 395 mil contratos. No mesmo período do ano passado, foram contratados R$ 3,9 bilhões e firmados 364 mil contratos.

O estado com maior volume de contratação é o Rio Grande do Sul, com mais de 92 mil contratos, que representam R$ 1,75 bilhão. Isso é quase um terço do total (R$ 5,6 bilhões), inicialmente, previsto para o estado.

Saiba mais

- Foram fechados 160 mil contratos de financiamento para custeio da safra em um valor de R$ 2,9 bilhões;

- Para investimentos na propriedade, como compra de equipamentos ou mecanização de processos, o número de contratos é de 235 mil, que, somados, atingem o valor de R$ 2,4 bilhões;

- As mulheres bateram recorde. Elas financiaram até agora R$ 723,5 milhões e fecharam 106 mil contratos. Isso já é mais do que elas financiaram em toda a safra passada, quando foram fechados 91.784 contratos no valor de R$ 535 milhões.

Conhecimento “de” e “para” o agricultor foi destaque da 11ª Agrifam

Repasse de tecnologias marcou Feira realizada pela Fetaesp

As cerca de 30 mil pessoas que passaram pela Agrifam – Feira da Agricultura Familiar – nos três dias de sua 11ª edição, realizada de 1º a 3 de agosto em Lençóis Paulista (SP), puderam observar que o alimento não é a única iguaria cultivada pelas mãos de quem trabalha com agricultura.

Embrapa compareceu na 11ª Agrifam com 11 de suas 47 unidades de pesquisa (foto: Giuliano Martins)

Embrapa compareceu na 11ª Agrifam com 11 de suas 47 unidades de pesquisa (foto: Giuliano Martins)

O conhecimento foi o grande destaque do evento realizado pela Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado de São Paulo (Fetaesp), pelo repasse de informações de pesquisadores para agricultores e destes para o público nas áreas do concurso de inventos. Em seu discurso de abertura – em que estavam desde o governador paulista Geraldo Alckmin, técnicos e engenheiros agrônomos, empresários do setor e principalmente, produtores rurais – o presidente da Fetaesp, Braz Albertini, evidenciou que “o agricultor precisa saber das novidades, porque tem que, cada vez mais, ter mais produtividade” e exemplificou o que pode ser encontrado de inovação na Agrifam.

Diferenciada por oferecer ao público um extenso panorama de pesquisa, tecnologia, produtos e serviços voltados para o desenvolvimento da atividade rural, a 11ª Agrifam celebrou o Ano Internacional da Agricultura Familiar concretizando o acesso ao conhecimento técnico para aumento da produção e aprimoramento da atividade. Foram as mais de 50 tecnologias apresentadas por onze das 47 unidades de pesquisa da Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária), além de um extenso painel de palestras abordando temas atuais para a agricultura e outras ações focadas no empreendedorismo rural. “Também somos agronegócio. A agricultura familiar é quem produz a maioria dos alimentos consumidos pelos brasileiros. É preciso atualizar a sociedade para uma visão equivocada que foi perpetuada por anos de que a agricultura familiar é uma atividade de subsistência.”, reforça Albertini.

O lançamento de novos modelos de máquinas e implementos foram fatores contribuintes para a Feira gerar uma movimentação financeira de R$ 19 milhões. “Já nos dois primeiros dias desta edição conseguimos superar nossa meta de vendas”, comemora Osmar de Souza, representante da marca Budny, uma das empresas expositoras na Feira.

Ganhador do primeiro prêmio do Concurso Inventor Rural, Sérgio Resner apresentou uma Semeadeira Manual de Hortaliças (foto: Giuliano Martins)

Ganhador do primeiro prêmio do Concurso Inventor Rural, Sérgio Resner apresentou uma Semeadeira Manual de Hortaliças (foto: Giuliano Martins)

Concurso – Outra marca registrada da Feira que trata de inovação é o tradicional Concurso Inventor Rural. As 45 criações participantes de inventores de sete estados brasileiros. “Isso demonstra o alcance da Agrifam para o país”, destaca Albertini. De Colombo (PR), veio o invento ganhador do primeiro prêmio. O agricultor Sérgio Resner, que já havia participado de outras edições do concurso, levou R$ 3 mil em dinheiro e troféu pela invenção Semeador Manual de Hortaliças. Para diminuir o ataque de vermes nos brincos de identificação dos animais, Oscar Nazareno de Sousa, de São José (SC), criou o Anel Repelente, e conquistou o troféu na segunda colocação e o montante de R$ 2 mil em dinheiro. Carlos Antônio Reckziegel trouxe sua Ensacadora e Compactadora de Silagem para faturar o terceiro lugar no Concurso, levando para Santa Cruz do Sul (RS), o prêmio de R$ 1,2 mil. Um prêmio especial foi oferecido a Nilo Deliberali, por sua adaptação na produção de mel, adaptando potes de vidro a já tradicional caixa de produção de abelhas para que o mel seja produzido direto na embalagem.

Internacional – A imprensa brasileira de cobertura regional e nacional realizou uma extensa cobertura do evento, focando todas as inovações disponíveis, com destaque para a estreia da agricultura de precisão e para as criações inusitadas e as que conquistaram prêmios no Concurso. As tecnologias da Embrapa e um sistema intensivo de produção de peixes foram temas de reportagens de uma equipe de imprensa do Paraguai, que segundo o repórter e engenheiro agrônomo Braulio Roman, “com certeza irá contribuir muito para a agricultura de seu país”.

A diretoria da Fetaesp informou durante 11ª Agrifam que a próxima edição será realizada novamente em Lençóis Paulista, de 31 de julho a 3 de agosto 2015.

Agrifam 2014: pesquisa para a agricultura familiar em destaque

Cerimônia de abertura contou com personalidades da agricultura e da política

"Também somos Agronegócio", afrima Braz Albertini em abertura da 11ª Agrifam (foto: Giuliano Martins)

“Também somos Agronegócio”, afirma Braz Albertini em abertura da 11ª Agrifam (foto: Giuliano Martins)

Políticos e personalidades da agricultura marcaram presença na abertura da 11ª Agrifam – Feira da Agricultura Familiar, realizada no Recinto Facilpa, em Lençóis Paulista (SP), no dia primeiro de agosto. A feira se estende até o domingo, 3 de agosto, e espera 30 mil visitantes.

A cerimônia de abertura começou às 10 da manhã e contou com diversos representantes do governo estadual e de instituições e entidades agrícolas. Nas falas dos participantes foi destacado que 2014 é o Ano Internacional da Agricultura Familiar e foram citados dados sobre a importância deste segmento no país, que representa 70% dos alimentos consumidos pelos brasileiros.

Braz Albertini, presidente da Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado de São Paulo (Fetaesp), ressaltou a importância da agricultura familiar na economia brasileira. Ele discursou sobre a necessidade de aumentar a inserção de tecnologia na agricultura familiar e elogiou o trabalho das instituições de pesquisa. “O agricultor precisa saber das novidades, porque ele vai ter que, cada vez mais, ter mais produtividade”, disse ele ressaltando um dos diferenciais da Agrifam que é o repasse direto de conhecimento em pesquisas e novas tecnologias disponíveis para o aprimoramento da produção na agricultura.

Albertini destacou ainda que a agricultura de precisão, tema que estreia nessa edição de 2014, ainda não é muito difundida no Brasil, mas deve ganhar terreno para desenvolver cada vez mais o trabalho do produtor rural brasileiro.  O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin foi uma das personalidades presentes que também ressaltou a importância da agricultura de precisão e lembrou que o primeiro curso para tecnólogo em mecânica para a tecnologia de precisão agrícola do Brasil foi criado no interior de São Paulo.

Geraldo Alckmin citou os programas vigentes voltados para a aquisição de implementos e tratores e ainda programas como o Microbacias 2, com  o intuito de agregar valor aos produtos derivados da agricultura. A citação evidenciava a ampla participação que órgãos estaduais têm na Agrifam, como as Secretarias do Meio Ambiente e da Agricultura, com suas coordenadorias e institutos.

Público confere atrativos da 11ª Agrifam em Lençóis Paulista (foto: Giuliano Martins)

Público confere atrativos da 11ª Agrifam em Lençóis Paulista (foto: Giuliano Martins)

Mônika Bergamaschi, Secretária da Agricultura e Abastecimento de São Paulo, salientou que a Agrifam é importante para a troca de experiência entre produtores, pesquisadores e demais envolvidos na atividade agrícola. “É um ambiente que propicia negociações”, disse. A Secretária destacou ainda a possibilidade de tirar dúvidas com especialistas presentes na Feira sobre os mais diversos temas como conservação de solos, produção de mudas, tecnologias e o Cadastro Ambiental Rural, a “carteira de identidade do imóvel rural”.

Durante a abertura a Embrapa Instrumentação fez a assinatura do contrato de repasse da tecnologia conhecida como Jardim Filtrante com a empresa Ecosys, tendo também colaba assinatura do presidente da Fetaesp como testemunha da parceria. A tecnologia complementa o sistema de saneamento básico na área rural, também composto pela Fossa Séptica Biodigestora e Clorador Embrapa.

A próxima Agrifam já está agendada para ocorrer de 31 de julho a 2 de agosto de 2015.

colaboração: Paulo Beraldo